29 de maio de 2021

Por trás dos livros #4

Estamos num mês especial, por isso, esta rubrica também é bastante especial! Desta vez, não entrevisto, mas sou entrevistada. E por quem? Por uma das pessoas que mais me inspira. Não só na literatura como na vida: a minha mãe.

Assim sendo, destaco as questões e as respetivas respostas às mesmas:

1.Lembro-me que quando eras criança se te ofereciam um livro não apreciavas mesmo nada. O que te fez mudar?

Creio que foi na adolescência que se deu o “clique”. Antes dessa altura, nunca tinha lido uma boa obra, por isso, achava que eram “todas iguais”, ou seja, uma grande seca! Estava enganada. Comecei por ler obras de escritores portugueses e gostei porque me identificava com aquilo que lia. Porque achava que fazia sentido. E acho que foi a partir daí que a literatura começou a fazer parte da minha vida e ainda bem!

2.Recordas o título do livro que marcou a tua viragem relativamente à leitura?

Não, não me recordo. Sou tão esquecida que não tenho ideia de qual terá sido a obra em causa!

3.Qual o género literário que preferes? E porquê?

Adoro romances e biografias. Os primeiros porque eu sou uma romântica por natureza e “transbordo” de felicidade quando as personagens se apaixonam. No entanto, gosto de romances pouco óbvios. Não gosto daqueles que desde que lemos a primeira página já sabemos como termina. As segundas porque são verídicas e gosto de conhecer as histórias reais de cada pessoa.  

4.Porque gostas de ler? O que sentes quando lês um livro que consideras bom?

“Ler é viajar sem sair do lugar”. E, com o confinamento, foi muito bom poder “viajar”! Gosto de ler porque vivo, na primeira pessoa, as histórias e as experiências de cada pessoa/personagem. Gosto de aprender com aquilo que leio e, quando tenho a “sorte” de ler um bom livro consigo fazer isso mesmo. Por isso, só posso ficar bastante contente!

5.Alguma vez te aconteceu desejar que o livro que estás a ler não acabe? Recordas algum desses momentos?

Sim já me aconteceu algumas vezes. A mais recente foi com a obra de Isabel Allende “Mulheres da minha alma”. É uma espécie de biografia que conta as histórias mais pertinentes da vida desta escritora. É tão interessante que se lê num ápice. Gostava que não tivesse acabado.


6 comentários:

Obrigada por lerem e comentarem, as vossas opiniões e sugestões são sempre bem-vindas!
Caso me façam questões, responderei diretamente no comentário! ❤